Eduardo Barbosa quer modernizar os cuidados com a saúde da pessoa com lesão medular

A iniciativa do deputado pretende debater as repercussões do uso de novas tecnologias para a pessoa dependente do cateterismo para o esvaziamento da bexiga.

Eduardo Barbosa explica que a substituição do material fornecido pelo SUS pode reduzir o trauma na uretra dos usuários e prevenir infecções renais pelo uso contínuo de cateter.

Segundo ele, a eficácia científica da nova tecnologia já foi comprovada e, agora, é preciso convencer o Ministério da Saúde de que o investimento no cateter hidrofílico pode garantir a dignidade e o convívio social para a pessoa com lesão medular.

O Ministério da Saúde estima que mais de 10.000 pessoas sofrem acidentes que resultam em novos casos de lesão medular ao ano. Cerca de 80% das vítimas são homens e 60% têm entre 10 e 30 anos de idade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *