Fechamento de turma do EJA revolta professores e alunos da Escola Professor Wilson

O Instituto Avante Brasil realizou recentemente um estudo que comprovou que o Brasil é um dos poucos países do mundo que está fechando escolas para abrir presídios. A partir dos dados do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, a pesquisa concluiu que no período de 1994 a 2009 houve uma queda de 19,3% no número de escolas públicas no país, já que no ano de 1994 havia 200.549 instituições de ensino públicas contra 161.783 em 2009.

Mas, em contrapartida, neste mesmo período, o número de presídios aumentou 253%, pois no ano de 1994 eram 511 estabelecimentos prisionais e em 2009 este número praticamente triplicou para um total de 1806 unidades. Especialistas da área de segurança pública são unânimes em afirmar que a educação é um dos alicerces do controle informal da criminalidade, principalmente em áreas de grande vulnerabilidade social.

Em Pará de Minas, na região dos bairros São Pedro e JK, constantemente são noticiados o envolvimento de alguns jovens com a criminalidade, principalmente com o tráfico de drogas. Por esse motivo é que a educação nessa região deve ser fortalecida, assim como políticas públicas, para se evitar que mais jovens sejam recrutados para o tráfico.

Mas, no dia 18 de setembro os alunos da Escola Estadual Professor Wilson de Melo Guimarães, que fica localizada no bairro JK, foram surpreendidos com a notícia de que a turma do primeiro ano do EJA – Educação de Jovens e Adultos seria fechada pela Superintendência Regional de Ensino.

Segundo a Superintendência de Ensino, na turma haviam matriculados 30 alunos, mas cerca de 18 estudantes frequentavam as aulas, motivo este que ensejou o fechamento da classe.

A notícia revoltou professores e alunos, que se organizaram e foram até a Superintendência Regional de Ensino para verificarem a possibilidade do retorno do primeiro ano do EJA – Educação de Jovens e Adultos. Vânia Márcia da Silveira, diretora da Escola Estadual Professor Wilson de Melo Guimarães, explica o impasse com a Superintendência.

Vânia Márcia ressalta que na Penitenciária Doutor Pio Canedo se tiver apenas um aluno a educação no local continua para ele.

A diretora da Escola Estadual Professor Wilson de Melo Guimarães, Vânia Márcia, aproveita para deixar bem claro a receptividade da Superintendente Regional de Ensino, Silvânia Galvão, em resolver o problema do fechamento da turma.

A Superintendente Regional de Ensino, Silvânia Galvão, explica que vai tentar solucionar o problema dos alunos.

Silvânia Galvão ainda explica que as turmas do EJA possuem um limite mínimo de alunos.

A expectativa é que nesta segunda-feira, dia 25 de setembro, a Superintendência Regional de Ensino apresente uma posição aos professores e alunos da Escola Estadual Professor Wilson de Melo Guimarães sobre o possível retorno da turma do primeiro ano do EJA.

One Comment

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *