Polícia prende suspeito de assassinar sargento em Pitangui

Nesta quinta-feira (29), por volta das 07h40, policiais militares de Pitangui foram informados que um procurado pela justiça estava escondido em uma casa na Rua Gustavo Capanema, no centro da cidade.

Os militares foram até o local e prenderam o indivíduo, que tem 51 anos. O mandado de prisão era de recaptura e foi assinado por uma juíza da comarca de Pitangui no dia 20 de junho de 2016.

De acordo com a Polícia Militar, esse homem é amante da esposa do sargento reformado da Polícia Militar de Minas Gerais, José Ephygênio Diniz, de 86 anos, que foi assassinado recentemente na zona rural de Pitangui.

O homem e a amante são suspeitos de assassinarem o militar com um tiro nas costas visando obter vantagens financeiras. A mulher já estava presa. O caso continua sendo investigado pela Polícia Civil de Pitangui.

2 Comments

Leave a Reply
  1. Ela já foi solta e ainda vai receber uma pensão por volta de R $ 8000,00.
    Só meu pai e a Citada tinham as chaves do rancho. Ela consultou dois advogados de Pitangui, Laiz e Fernando, pra saber quais eram seus direitos e em quais situações.
    Como meu pai havia assinado uma procuração para realizarmos o divórcio, ele vivo pra ela não era mais interessante.

  2. Até o hoje o assassino do meu pai continua solto e impune. Nem o Laudo Pericial ficou pronto, não nos deixam ter acesso a nada e nem nos passam informações sobre o andamento do inquérito, que na verdade não vem nem sendo feito investigações para esclarecer a morte brutal do nosso pai.
    A indignação é que a principal suspeita esta sendo julgada hoje por receptação do veiculo furtado do nosso pai, cujo documento de licenciamento foi retirado da sua carteira no dia do crime. Essas e outras evidencias repassadas a Delegacia não adiantaram em nada. Acho que a justiça esta esperando o assassino chegar até eles e falar: Eu matei aquele Sgt com 35 anos de prestação de serviços, condecorado varias vezes, de ficha limpa, pai de família, que queria só curtir seu rancho e morto com tiros de calibre 12.
    Nem os furtos constantes do rancho, feitos pela suspeita, e com várias testemunhas e descobertos serviram pra nada. Sofa de 1800,00 vendidos por 200,00, sons, armas, alimentos, armários, geladeiras e televisores, roubados de um idoso de 86 anos não é crime…!
    Nem a promotoria age no intuito de exigir mais eficiência e eficacia da policia…nosso pai não passa de mais um morto somado nas estatísticas da criminalidade…mas quando um bandido morre…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *