Promotor de Justiça confirma fiscalização sobre a poluição do Ribeirão Paciência

O Ministério Público abriu inquérito para averiguar o despejo de dejetos industriais no Ribeirão Paciência em Pará de Minas. Ao todo, sete empresas estão sendo investigadas. A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal reuniu documentos para cobrar medidas dos órgãos competentes.

Em dois anos, foram feitas mais de 500 análises do rejeito lançado no Ribeirão e em 80% delas, os níveis de poluição estão acima do que é aceitável por lei. Em alguns casos, os números chegam a ser oito vezes maiores que o limite tolerável.

A última diligência feita pelo Ministério Público foi um pedido de vistoria da estação de tratamento de Pará de Minas. A análise foi um pedido da Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) e deve ser concluída em breve.

O despejo do esgoto industrial acontece há poucos metros de um dos pontos de captação da água. O que é possível ver a água transparente em uma parte do Ribeirão e logo após os dejetos serem jogados, ela fica verde e branca, com o aspecto de poluição.

A cidade é banhada por vários e pequenos córregos e ribeirões. O principal deles é o Ribeirão Paciência, responsável pelo abastecimento de Pará de Minas, junto com o Ribeirão Olhos D’água e Córrego Água Limpa, que fazem parte da bacia do São Francisco e da sub-bacia do Rio Pará.

O promotor de justiça e curador do meio ambiente da Comarca de Pará de Minas, Delano Azevedo confirma as denúncias que foram feitas ao Ministério Público sobre a poluição do Ribeirão Paciência e ressalta que espera um laudo da SUPRAM – Superintendência Regional de Meio Ambiente para tomar providências.

O promotor de justiça, Delano Azevedo, ressalta também que a SUPRAM tem um prazo determinado para apresentar os laudos com o índice de poluição do Ribeirão Paciência.

Delando Azevedo explica a punição que as empresas poluidoras podem sofrer após a confirmação que estão poluindo o Ribeirão Paciência.

Questionado se há suspeitas sobre quais empresas estão poluindo o Ribeirão Paciência, o promotor de justiça e curador do meio ambiente da Comarca de Pará de Minas, Delano Azevedo tem a seguinte resposta.

A expectativa é que as empresas que estão poluindo o Ribeirão Paciência sejam descobertas e que providência seja tomada uma vez que o principal curso d`água de Pará de Minas está secando.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *